Os Créditos para os Textos Seleccionados, a partir de Obras adquiridas, pertencem INTEGRALMENTE ao(à) seu(sua) Autor(a) ou Descendentes e Herdeiros e respectiva Editora. Os textos que não possuam a referência do Livro de origem, foram-nos enviados por amigos ou por pesquisas na net, pelo que, se alguma Entidade ou Indíviduo, considerar que estarmos a violar os seus direitos, por favor contacte-nos, e o(s) texto(s) serão prontamente retirados, assumindo que a queixa seja devidamente fundamentada.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Caixa de Cartão

CAIXA DE CARTÃO


Mãos vazias,
Almas despidas,
Rostos cansados, envelhecidos, feridos…
Perdidos nas ruas, vagueiam sem rumo…
Vidas de sofrimento e abandono…
Vestem farrapos,
Andam despidos…
Contam migalhas para alimentar a fome dos dias
Dormem em ruas desertas, em cidades de silêncio,
Num beiral, numa paragem, debaixo de um alpendre
Sentem tempestades de angustia,
Sonhos destruídos, vidas de solidão
Memórias do passado, esperanças perdidas
Num mundo de ilusão,
Choros sem lágrimas, vozes abafadas…
Quem te ajuda? Quem te dá a mão?
Tu que dormes em caixas de cartão…


Luís Ferreira (Mar de Sonhos)

1 comentário:

Ana Paula disse...

Excelente poema dedicado aos sem abrigo.
Infelizmente cada vez há mais nas cidades.
Beijinhos grandes