Os Créditos para os Textos Seleccionados, a partir de Obras adquiridas, pertencem INTEGRALMENTE ao(à) seu(sua) Autor(a) ou Descendentes e Herdeiros e respectiva Editora. Os textos que não possuam a referência do Livro de origem, foram-nos enviados por amigos ou por pesquisas na net, pelo que, se alguma Entidade ou Indíviduo, considerar que estarmos a violar os seus direitos, por favor contacte-nos, e o(s) texto(s) serão prontamente retirados, assumindo que a queixa seja devidamente fundamentada.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Atrás das Pedras

ATRÁS DAS PEDRAS

Não quero correr mais atrás das pedras,
Que atiras junto à fronte do meu rosto...
Nem quero calar mais enquanto medras,
Com essas pedras que me atiras por imposto...

Não quero vergar mais aos teus caprichos,
Sobranceados pela força do teu braço...
Nem quero ser mais um, de entre os bichos,
Para que as pedras vejam tudo quanto faço...

Não quero correr mais atrás das pedras,
Direccionadas aos meus olhos racionais...
Nem quero ocultar mais o que me vedas,
Porque te digo que eu já não quero mais...

António Prates (em "Sesta Grande")

3 comentários:

Ana Paula disse...

Mais um maravilhoso poema do amiguinho António Prates, um grande poeta Alentejano que sabe transmitir através das suas palavras o que lhe vai na alma.
Parabéns ao António e a ti por partilhares as suas poesias.
Beijinhos grandes aos dois,
Ana Paula

Antonia Ruivo disse...

Pena que o António tenha deixado de publicar pelo menos é o que me parece, ele é um dos grandes deste Alentejo.

António Prates disse...

Mais uma vez vim ouvir a voz dos poetas e agradecido estou por merecer a honra de estar representado neste lugar. Assim como agradeço as gentileza das palavras dedicadas.

Um abraço e bem-haja!

António